Ser fiel é sinal de inteligência: os traidores são pessoas menos evoluídas - OlhaQueVideo.com.br
x
Utilizando este site, você aceita o modo no qual utilizamos os cookies para melhorar a sua experiência. Saiba mais Ok
x
Ser fiel é sinal de inteligência:…
Um dos psicólogos mais famosos do mundo revela 22 regras para melhorar a qualidade de vida A gentileza, uma força maravilhosa que consegue derrubar qualquer muro

Ser fiel é sinal de inteligência: os traidores são pessoas menos evoluídas

23.331
Advertisement

O amor é como uma bala, segundo o neurocientista colombiano Rodolfo Llinás, mas não porque é doce: e sim porque aqueles que estão apaixonados querem mais e mais amor da pessoa que amam.

De fato, apesar de nascer na área emocional do cérebro, onde existem apenas reações e movimentos estereotipados, o amor atinge diferentes funções fisiológicas: não é a fome física ou sexual, mas um desejo que nunca é satisfeito.

É por isso que para Llinàs não apenas existe amor eterno, mas também é possível ser fiel; uma característica, típica das pessoas mais inteligentes.

Llinàs afirma que as pessoas inteligentes "estruturam e modelam padrões de ação fixos, com base no conceito de que veem os outros como sua própria mão, cuidar dela é de sua responsabilidade, e vice-versa. Saber que não será apunhalado pelas costas é uma coisa normal". Além disso, a fidelidade aparece como um meio racional, na medida em que evita um desperdício de energia inútil, seja emocional que intelectual; uma energia que pessoas inteligentes usam para investir na gestão de questões mais complexas e importantes do ponto de vista da comunidade.

A esse respeito, é interessante analisar o estudo conduzido pelo Dr. Satoshi Kanazawa, especialista em psicologia do desenvolvimento, segundo o qual homens com coeficientes intelectuais superiores atribuem maior valor à fidelidade do casal; relação ausente para as mulheres, para as quais a fidelidade é sempre importante, independentemente do seu nível de inteligência.

Por outro lado, Satoshi demonstra como a fidelidade é um produto da evolução do ser humano que, originalmente, era instintivamente orientado para a poligamia como qualquer mamífero, mas acabou desenvolvendo gradualmente relações exclusivas, caracterizadas por uma prevalência da razão sobre o instinto.

Em geral, é bastante claro que aqueles que são infiéis devem ter bastante tempo livre e predisposição emocional para o conflito: aqueles que estão envolvidos em assuntos mais importantes, não perdem tempo e energia para elaborar mentiras e subterfúgios para esconder suas "escapadas". É muito mais inteligente, no entanto, criar um relacionamento estável, que se aprofunda cada vez mais no tempo, representa um valor agregado, tanto em termos de crescimento pessoal como de casal.

Coisa que talvez seja muito difícil para os infiéis entenderem. ;)

Advertisement

Deixe um comentário!

Advertisement
Advertisement
x

Por favor, faça o login para carregar o vídeo

Cadastre-se com Facebook com 2 simples cliques!
(Usamos Facebook somente para que o registro seja mais rápido e NÃO iremos postar nada no seu mural)

Acesse com Facebook

Quer mais coisas como essa?

Curta e não perca os melhores da internet!

×

Já sou fã, obrigado