As avós se ligam emocionalmente mais aos netos do que aos filhos: é o que diz este estudo científico - OlhaQueVideo.com.br
x
Utilizando este site, você aceita o modo no qual utilizamos os cookies para melhorar a sua experiência. Saiba mais Ok
x
As avós se ligam emocionalmente mais…
Menina autista se torna amiga de um operador ecológico: O coelho roe a sua bolsa da Louis Vitton, os sapatos e os cabelos: danos superiores a 2.300 euros, mas ela o adora

As avós se ligam emocionalmente mais aos netos do que aos filhos: é o que diz este estudo científico

19 Novembro 2021 • Por Roberta Freitas
1.331
Advertisement

O vínculo que pode ser criado entre uma avó e um neto é verdadeiramente especial e único; quase todo mundo sabe disso como uma espécie de regra geral não escrita, mas agora há evidências científicas consideráveis ​​que confirmam o quanto a avó se preocupa de uma maneira consideravelmente particular com o neto, talvez até mais do que com um filho, agora um adulto. Um estudo muito interessante foi conduzido por James Rilling, da Emory University de Atlanta, com resultados não apenas surpreendentes, mas também muito, muito doces e comoventes, por assim dizer.

image: Max Pixel

Um estudo conduzido pela Emory University em Atlanta e supervisionado por James Rilling foi possível através da análise dos sistemas cerebrais de cerca de 50 avós que tinham pelo menos um neto, homem ou mulher, com idade entre 3 e 12 anos. Cada uma dessas avós via algumas fotos de família; algumas retratavam seus filhos, outras seus netos, e quando seus olhos pousaram nesses últimos, os estímulos cerebrais (monitorados e depois analisados ​​por ressonâncias magnéticas) mudaram completamente: "Tudo o que pudemos observar nesses casos foi a ativação de certas áreas do cérebro associadas à empatia emocional. Isso sugere que as avós tendem a sentir as mesmas coisas que os netos sentem quando falam ou interagem com elas. Por exemplo, se o neto sorrir, as avós sentirão a mesma sensação; se o neto chorar, elas sentirão sua própria angústia", disse James Rilling.

A música mudou quando essas avós viram fotos de seus netos adultos; também neste caso os sistemas cerebrais das senhoras idosas mudaram em relação ao experimento anterior; nesses casos, uma resposta ligada à empatia cognitiva e não mais emocional foi ativada em seus cérebros: "Em suma, empatia emocional é quando uma pessoa é capaz de sentir o que outra pessoa sente, empatia cognitiva é quando ela é capaz de compreender, em um nível puramente cognitivo, o que a outra pessoa está sentindo e, acima de tudo, o porquê"

Em palavras simples, se uma avó interage com um neto pequeno (a idade média do experimento era de fotos que retratavam crianças de 3 a 12 anos) ela dá uma resposta devido a uma empatia emocional muito forte, experimentando as mesmas emoções que experimentam seus netos; se, por outro lado, este já é adulto, a avó sente um vínculo empático muito forte, mas não mais emocional, mas cognitivo, vinculado ao raciocínio.

Em suma, certamente podemos dizer que o vínculo entre uma avó e seu neto vai além de toda compreensão e permanece sempre especial. 

Advertisement

Deixe um comentário!

Advertisement
Advertisement
x

Por favor, faça o login para carregar o vídeo

Cadastre-se com Facebook com 2 simples cliques!
(Usamos Facebook somente para que o registro seja mais rápido e NÃO iremos postar nada no seu mural)

Acesse com Facebook

Quer mais coisas como essa?

Curta e não perca os melhores da internet!

×

Já sou fã, obrigado