Esquecer as coisas pode ser um sinal de que nosso cérebro funciona bem: é o que os neurocientistas revelam - OlhaQueVideo.com.br
x
Utilizando este site, você aceita o modo no qual utilizamos os cookies para melhorar a sua experiência. Saiba mais Ok
x
Esquecer as coisas pode ser um sinal…
O professor obriga os estudantes a deixar os celulares em um armário e lança uma O papai canta junto com a filha depois do banho: de uma doçura sem fim!

Esquecer as coisas pode ser um sinal de que nosso cérebro funciona bem: é o que os neurocientistas revelam

Por Roberta Freitas
6.598
Advertisement

Muitas pessoas adoram dizer que têm uma excelente memória, o que pode sem dúvida ser útil na escola, nos estudos ou em outras situações específicas. Na vida cotidiana, no entanto, acontece que esquecermos algo e nos sentirmos culpados por não termos lembrado disso ou daquilo.

A ciência, no entanto, tem uma opinião completamente diferente: não há nada de errado em esquecer, de fato, aqueles que frequentemente esquecem alguma coisa têm uma inteligência maior.

via: CNN
image: jdit/Flickr

Um estudo conduzido pela Universidade de Toronto enfraquece a crença de que uma grande memória seja sinônimo de grande inteligência: o oposto é verdadeiro. Para os cientistas, são mais inteligentes aqueles que lembram um pouco de tudo, do que aqueles que lembram todos os detalhes de um único elemento: é muito mais útil na vida prática e permite que você explore ativamente a memória. A próxima vez que alguém descrever você em detalhes e como você se vestiu naquele dia em que você disse essas palavras exatas, não se surpreenda: não tem nada a ver com ser inteligente. O esquecimento é um processo fundamental para criar um espaço valioso para armazenar novas informações úteis: esquecer os detalhes é memorizar o que será útil para tomar as decisões certas no mundo real. Uma mente repleta de detalhes desnecessários tem muito mais probabilidade ficar confusa quando toma uma decisão: por exemplo, um cérebro com muitas lembranças pode cair na indecisão porque leva em conta variáveis ​​excessivas. Claramente, os resultados da Universidade de Toronto não são mais válidos se a quantidade de informações esquecidas for consistente e frequente ao longo do tempo. Nesta situação, é aconselhável realizar verificações para garantir que não haja problemas de memória.

Advertisement

Deixe um comentário!

x

Por favor, faça o login para carregar o vídeo

Cadastre-se com Facebook com 2 simples cliques!
(Usamos Facebook somente para que o registro seja mais rápido e NÃO iremos postar nada no seu mural)

Acesse com Facebook

Quer mais coisas como essa?

Curta e não perca os melhores da internet!

×

Já sou fã, obrigado