Às vezes, manter um casamento em crise em vez de se divorciar pode ter efeitos negativos sobre a criança - OlhaQueVideo.com.br
x
Utilizando este site, você aceita o modo no qual utilizamos os cookies para melhorar a sua experiência. Saiba mais Ok
x
Às vezes, manter um casamento em crise…
Este menino de 4 anos conseguiu derrotar o Coronavírus apesar de já estar lutando contra o câncer Este garoto muito pobre tinha que atravessar um rio para ir à escola todos os dias: hoje ele estuda em Harvard

Às vezes, manter um casamento em crise em vez de se divorciar pode ter efeitos negativos sobre a criança

Por Roberta Freitas
1.083
Advertisement

Viver a experiência do divórcio e da separação nem sempre é saudável para o casal envolvido, que sente o seu amor desaparecer inexoravelmente ao longo do tempo, mas também para os filhos; de fato, se o casal já tem filhos, as consequências psicológicas da desintegração da unidade familiar podem ser inúmeras e muito sérias. Mas ainda mais graves, para o possível filho, são as consequências de um casamento "tóxico", mantido dentro das paredes da casa, para não amedontrar a criança...

image: Pxfuel

Desistir do divórcio ou da separação pelo "bem" de seu filho e pela proteção de sua saúde mental é um dos maiores erros que os pais em crise podem cometer. Não apenas manter "vivo" um casamento que não funciona alimenta uma atmosfera doentia e pouco inspiradora dentro das paredes da casa (brigas contínuas entre mãe e pai, mal-entendidos, tensões, muita negatividade no ar), mas também pode ter algumas consequências diretas para a psicologia interior da criança.

De fato, a criança pode desenvolver baixa autoestima, ter problemas psicológicos e interrelacionais com seus colegas de escola, ou pode até ter problemas de comunicação com outras pessoas, tanto fora como dentro de casa: um "fechamento" lento, mas progressivo, em si mesmo certamente não é incomum nessas situações familiares.

image: Needpix

Outro distúrbio não menos frequente, da parte da criança dem desenvolvimento que vive no "cativeiro" de sua própria casa, é o de começar com ações aparentemente intratáveis, às vezes violentas com seus amigos, conhecidos, até mesmo com os professores da escola; um quadro psicológico geral que, se não for parado a tempo, pode forçar os pais que já estão em crise conjugal a ouvir uma opinião especializada para ajudar seus filhos em dificuldade.

Em suma, parece que manter vivo um casamento complicado, mesmo vendo seu filho "feliz", é uma má idéia, com consequências perigosas; nesses casos extremamente delicados, é melhor confiar no senso comum dos pais e se convencer a assinar os documentos do divórcio de longa data ou a considerar uma separação amigável. Mesmo que não pareça, seu filho poderá se beneficiar no futuro.

Advertisement

Deixe um comentário!

Advertisement
Advertisement
x

Por favor, faça o login para carregar o vídeo

Cadastre-se com Facebook com 2 simples cliques!
(Usamos Facebook somente para que o registro seja mais rápido e NÃO iremos postar nada no seu mural)

Acesse com Facebook

Quer mais coisas como essa?

Curta e não perca os melhores da internet!

×

Já sou fã, obrigado