Um homem adota uma menina que foi trancada em um quarto por sua mãe durante 6 anos, dando a ela uma nova vida - OlhaQueVideo.com.br
x
Utilizando este site, você aceita o modo no qual utilizamos os cookies para melhorar a sua experiência. Saiba mais Ok
x
Um homem adota uma menina que foi trancada…
Estavam comemorando o primeiro aniversário da filha com algumas fotos: uma mulher os ataca e destrói o cenário 20 animais de estimação que cresceram

Um homem adota uma menina que foi trancada em um quarto por sua mãe durante 6 anos, dando a ela uma nova vida

Por Roberta Freitas
2.833
Advertisement

Existem histórias que têm o poder de deixar uma marca profunda não só em quem as vive, mas também em quem as conhece. Talvez se trate de casos "extremos" e acontecimentos incríveis, e que por isso são particularmente exemplares, pelas importantes mensagens que nos transmitem.

A que vamos contar é a história de uma menina que, nos primeiros 6 anos de sua vida, foi mantida pela mãe em casa, longe de tudo e de todos, em um quartinho e em condições higiênicas deploráveis. Ler tal coisa, por si só, já é perturbador e não nos traz nada de bom, mas felizmente o destino desta menina estava destinado a mudar para melhor, em uma reviravolta que foi como um segundo nascimento para ela.

Em 2005, Danielle Lierow (também conhecida como Dani) foi encontrada por policiais que intervieram na casa de sua mãe depois que um vizinho a viu várias vezes olhar pela janela e decidiu denunciar a situação. Seu estado era péssimo: o quartinho em que a mãe a tinha aprisionado carecia totalmente de higiene e limpeza, tinha apenas um colchão velho para dormir e pouco mais.

Dani não sabia ler nem escrever e se recusava a comer. Seu peso era de pouco mais de 20 kg e ela mal conseguia andar. Os investigadores que a libertaram chamaram seu caso de "o pior caso desse tipo já visto", e não é difícil de acreditar. O mais desconcertante é que sua mãe, Michelle Crockett, viúva e depois obviamente presa e condenada, parecia nem perceber o que estava fazendo com a filha, devido a problemas mentais evidentes.

No entanto, a vida muitas vezes nos ensina que mesmo nas piores e mais sombrias situações, o destino pode sempre reservar algo de positivo para nós. Na verdade, o destino de Dani poderia ter sido muito pior, mesmo depois de sua libertação, mas felizmente em seu caminho ela conheceu um casal com um coração imenso, que soube dar a todo o amor que ela precisava e que nunca tinha recebido.

Depois de uma longa hospitalização e terapia para recuperar as suas forças, os médicos e psiquiatras descobriram que ela não tinha tido nenhum tipo de estímulo, mas não havia nenhum problema mental. Ela cresceu como uma "selvagem", e poucas pessoas concordariam em levar um caso tão limítrofe para suas famílias.

Advertisement

Mas Bernie e Diane Lierow levaram seu caso tão a sério que imediatamente pensaram que Dani deveria morar com eles. "Ela só precisava de nós" para crescer e finalmente ter uma segunda chance na vida. Apesar dos pontos de vista opostos dos próprios funcionários de serviços infantis sobre a adoção, o casal estava mais determinado do que nunca a levar a criança com eles.

Criar Dani não foi fácil para os Lierows: marido e mulher dedicaram todos os esforços para fazê-la “renascer” como uma pessoa normal. Demorou anos até que a pobre Dani aprendesse a fazer o que é absolutamente normal para uma menina de sua idade, mas no final os esforços valeram a pena, mesmo se começar a falar, pela criança, ainda parecia um objetivo distante.

Apesar de algumas melhorias, as tensões entre o casal não faltaram, tanto que os Lierows acabaram se divorciando. Bernie, o pai, acabou ficando com Dani, com a firme intenção de não abandoná-la. As responsabilidades, assim, todas acabaram em seus ombros, e para ele as dificuldades não faltaram. No final, o homem decidiu pedir ajuda a uma casa família, onde Dani poderia ser seguida todos os dias, sem no entanto perder a presença do pai.

"Foi uma decisão difícil de tomar, mas foi necessária", comentou Bernie. Hoje, aliás, a Dani melhorou muito nos problemas. Mesmo sem falar, ela está mais calma e pode interagir melhor com as pessoas ao seu redor. “Tenho certeza que valeu a pena”, disse o pai adotivo, certo de que conseguiu dar à filha todo o amor que ele tinha, e que tinha faltado a ela na infância.

O que Bernie sente por sua filha é algo além do simples amor paternal: este homem, e sua esposa anteriormente, a fizeram renascer para um futuro melhor, uma vida que nunca deveria ser fechada para crianças.

Advertisement
Advertisement

Deixe um comentário!

Advertisement
Advertisement
x

Por favor, faça o login para carregar o vídeo

Cadastre-se com Facebook com 2 simples cliques!
(Usamos Facebook somente para que o registro seja mais rápido e NÃO iremos postar nada no seu mural)

Acesse com Facebook

Quer mais coisas como essa?

Curta e não perca os melhores da internet!

×

Já sou fã, obrigado