"Você é gorda": uma menina de 8 anos sofre bullying na escola, mas em vez de "brigar", ela escreve uma carta para o agressor - OlhaQueVideo.com.br
x
Utilizando este site, você aceita o modo no qual utilizamos os cookies para melhorar a sua experiência. Saiba mais Ok
x
"Você é gorda": uma menina de 8 anos…
17 clientes de supermercados que definitivamente interpretaram mal o significado de decência e bom gosto Ele nasceu sem as pernas e os braços e criou suas duas filhas sem a ajuda de sua esposa:

"Você é gorda": uma menina de 8 anos sofre bullying na escola, mas em vez de "brigar", ela escreve uma carta para o agressor

27 Janeiro 2021 • Por Roberta Freitas
11.404
Advertisement

Poder educar os filhos sem se culpar ou sem errar é uma utopia a qual muitos pais aspiram. A verdade, infelizmente, é que mesmo que você dê o melhor de si como pai, será impossível controlar todas as situações possíveis no mundo exterior no qual seu filho irá crescer. O importante, porém, é oferecer bases sólidas e bons princípios, que sempre possam indicar o caminho certo.

Uma mãe australiana, Mel Watts, se perguntou várias vezes se ela era uma boa mãe para seus quatro filhos. Agora, depois de sua filha de 8 anos, Ivie, ter lidado muito bem com uma situação desagradável de bullying na escola, ela finalmente teve uma resposta.

A resposta de Mel à sua grande questão existencial foi inteiramente positiva. A não deixar qualquer dúvida, foi justamente o comportamento da filha de 8 anos, alvo na escola de palavras não muito simpáticas contra ela. As crianças, como sabemos, podem ser muito más com as palavras ou até mesmo com ações, e acabam em atos de violência psicológica e bullying. Uma de suas colegas, na verdade, tinha dito que Ivie era gorda. A menina, apesar de ter uma boa autoestima, ficou particularmente impressionada com aquela palavra, pela forma como a colega a definiu.

Não contente com o desenrolar das coisas, Ivie resolveu escrever uma carta para a colega, para entender o motivo daquela ofensa e, principalmente, para evitar que repetisse aquela palavra para ela. Como Mel apontou, a carta não era de forma alguma uma "declaração de guerra" contra a sua colega de classe, mas uma forma bastante diplomática de expressar outro ponto de vista.

Advertisement

"Vou continuar a me pesar, mas este é o meu corpo, amo quem sou e nunca vou mudá-lo e não me importo com o que os outros ou você pensam de mim. Só me importo que minha mãe, meu pai e minha família me amem”- com essa frase a pequena Ivie deixou sua mãe muito orgulhosa, provando ser capaz de se defender e ter a medida certa de autoestima.

A mãe percebeu que sua colega de classe provavelmente não pretendia machucar Ivie intencionalmente. As duas meninas têm personalidades diferentes e estão "começando a se conhecer e conhecer o mundo". Felizmente, após essa troca, elas superaram suas divergências e agora têm um bom relacionamento. 

Mel pode ficar muito orgulhosa de sua filha - ela a está criando bem!

Advertisement

Deixe um comentário!

Advertisement
Advertisement
x

Por favor, faça o login para carregar o vídeo

Cadastre-se com Facebook com 2 simples cliques!
(Usamos Facebook somente para que o registro seja mais rápido e NÃO iremos postar nada no seu mural)

Acesse com Facebook

Quer mais coisas como essa?

Curta e não perca os melhores da internet!

×

Já sou fã, obrigado