Os homens infiéis são menos inteligentes: é o que diz uma pesquisa científica - OlhaQueVideo.com.br
x
Utilizando este site, você aceita o modo no qual utilizamos os cookies para melhorar a sua experiência. Saiba mais Ok
x
Os homens infiéis são menos inteligentes:…
Os abraços: veja por que devemos dar e receber todos os dias! Chega de cremes e tratamentos caros: um remédio para salvar as suas mãos... com só dois ingredientes

Os homens infiéis são menos inteligentes: é o que diz uma pesquisa científica

913
Advertisement

Quando uma mulher diz que o parceiro que a traiu é 'burro', talvez ela esteja mais certa do que acredita. De fato, parece haver uma conexão direta entre não ser capaz de resistir à tentação de procurar outros companheiros e o chamado QI. O Dr. Satoshi Kanazawa, psicólogo da Escola de Economia e Ciências Políticas de Londres, publicou um estudo que explicaria o porquê.

via: Daily Mail
image: Pixabay

A lealdade não é apenas uma questão de caráter, de circunstâncias e oportunidades, mas também de inteligência. Isso não significa que aqueles que traem não são capazes de amar, mas não possuem os recursos cognitivos necessários para levar esse sentimento à maturidade até que evoluam para algo estável e duradouro.

A incapacidade de manter um compromisso equivale a não saber como assumir responsabilidades e, acima de tudo, suportar o ônus. Após a fase da paixão, o relacionamento deve necessariamente evoluir para algo mais sólido e concreto, que não é só um simples prazer e diversão. De acordo com as teorias do Dr. Kanasawa, a própria história da antropologia é um testemunho de como o homem se transformou de polígamo em monogâmico, à medida que suas faculdades intelectuais se desenvolveram. Os instintos básicos e a necessidade reprodutiva deram lugar a condições emocionais baseadas em compartilhamento, apoio mútuo e afetividade.

image: Pixabay

Portanto, quanto mais inteligente for um homem, mais provável é que ele construa relacionamentos duradouros e significativos ao longo de sua vida. A quantidade de "massa cinzenta" não é apenas uma questão de talentos naturais, mas também de experiências e do modo com o qual o indivíduo aprendeu a derivar os significados dessas experiências desde a infância até a idade adulta. A pesquisa não diz respeito às mulheres devido a uma escolha específica de exclusão. De fato, o gênero feminino foi capaz de desenvolver o instinto de seleção e a predileção pela monogamia, primeiro e melhor. Isto pode ser devido ao fato de que as mulheres, por natureza, estão intimamente ligadas ao processo reprodutivo, vivendo-o mais diretamente.

Certamente existem exemplares infiéis também entre as mulheres, mas pelo menos estatisticamente parecem ser uma quantidade menor que os homens. Essa é talvez uma pequena vingança do homem de família clássico comparado ao chamado "mulherengo": o primeiro parecerá mais chato e banal, mas talvez seja simplesmente porque ele entendeu algo a mais!

Advertisement

Deixe um comentário!

Advertisement
Advertisement
x

Por favor, faça o login para carregar o vídeo

Cadastre-se com Facebook com 2 simples cliques!
(Usamos Facebook somente para que o registro seja mais rápido e NÃO iremos postar nada no seu mural)

Acesse com Facebook

Quer mais coisas como essa?

Curta e não perca os melhores da internet!

×

Já sou fã, obrigado