Nunca vá para cama com raiva no coração: a emocionante história de uma mãe e seu filho - OlhaQueVideo.com.br
x
Utilizando este site, você aceita o modo no qual utilizamos os cookies para melhorar a sua experiência. Saiba mais Ok
x
Nunca vá para cama com raiva no coração:…
Este cachorrinho teve danos cerebrais por causa de seu dono que o deixou no carro embaixo do sol O filho de Will Smith abre um restaurante para doar comida para quem está em dificuldade

Nunca vá para cama com raiva no coração: a emocionante história de uma mãe e seu filho

1.074
Advertisement

Provavelmente aconteceu com todos, pelo menos uma vez na vida. Discutir com uma criança, com um dos pais ou com um parceiro, de tal modo que você não tenha conseguido "fechar" a questão pois estava cansado demais para continuar. 

Nesses momentos, quando permanecemos sozinhos e refletimos sobre o que foi dito e o que aconteceu, nunca conseguimos nos acalmar completamente, especialmente se continuarmos a ter a impressão de que nossas razões não foram suficientemente expostas. Dormir é, portanto, praticamente impossível.

Para aprender a lidar melhor com essas situações desagradáveis, a história contada por uma mãe sobre um episódio em particular vivido com seu filho pode ser útil. Uma história emocionante, na qual certamente muitas pessoas podem se espelhar e encontrar ideias para melhorar, mesmo durante seus pequenos desafios diários.

image: Needpix

"Meu filho e eu tivemos uma daquelas discussões monumentais por uma hora e meia, porque ele não queria ir dormir. Entre quatro mudanças de pijamas, duas mudanças de almofadas, um debate "existencial" sobre por que a noite existe e por que as pessoas têm que dormir, acabamos com uma discussão em que segundo ele "ninguém poderia forçá-lo a fechar os olhos se não quisesse". A certa altura, dada a situação, decidi jogar as cartas no meu "poder": "Meu amor, eu te amo, mas se você não for dormir agora, amanhã você não irá brincar na casa de seus primos."

Um golpe baixo, admito, porque nós dois sabíamos o quanto ele queria ir para a casa dos primos. Eu não sei como, mas ele conseguiu segurar sua imensa raiva, enxugou as lágrimas e se deitou. Depois de cobrí-lo com o cobertor, eu estava prestes a sair do quarto. Então eu o ouvi, na escuridão, me chamando para dizer: "Mamãe, eu te perdoo". "Eu acho que você não entendeu o significado correto da frase" , eu disse, pensando que ele queria pedir desculpas. A resposta foi incrível.

"Não, mãe, eu te perdoo. Eu te perdoo porque dissemos coisas que fizeram nossos corações ficarem tristes e eu não consigo dormir: sentir-se triste faz meu estômago doer e não consigo adormecer. É por isso que eu quero que nos perdoemos." Ele continuou enxugando as lágrimas com as mãos pequenas. Naquela noite, aprendi uma grande lição de perdão e empatia de uma criança de 4 anos. Nunca devemos ir para a cama com raiva em nossos corações".

Tentar perdoar e - ao mesmo tempo - aprender a pedir perdão, especialmente na frente de nossos entes queridos, é uma habilidade fundamental a ser adquirida na vida. Só então podemos evitar sermos envolvidos em dor e raiva. Memórias negativas são mais difíceis de evitar se formos para a cama pensando nelas.

Além disso, os momentos passados com nossos parceiros, filhos e pais são preciosos demais para serem povoados por episódios negativos e "tóxicos", que são difíceis de superar. Com mais algumas "desculpas", certamente viveremos com mais calma.

Advertisement

Deixe um comentário!

Advertisement
Advertisement
x

Por favor, faça o login para carregar o vídeo

Cadastre-se com Facebook com 2 simples cliques!
(Usamos Facebook somente para que o registro seja mais rápido e NÃO iremos postar nada no seu mural)

Acesse com Facebook

Quer mais coisas como essa?

Curta e não perca os melhores da internet!

×

Já sou fã, obrigado