Não pode existir dor maior para um pai do que perder o próprio filho - OlhaQueVideo.com.br
x
Utilizando este site, você aceita o modo no qual utilizamos os cookies para melhorar a sua experiência. Saiba mais Ok
x
Não pode existir dor maior para um…
A todos os papais que criaram crianças com amor, mesmo que não fossem os próprios filhos: obrigado de coração A menina com deficiência física recebe uma Barbie especial como ela: loira e com a cadeira de rodas azul

Não pode existir dor maior para um pai do que perder o próprio filho

Por Roberta Freitas
1.562
Advertisement

Muitos pensam que o maior terror que pode ser experimentado na vida é morrer; mas talvez não seja assim. Muitos pais poderão dizer que o sentimento mais terrível que uma pessoa possa experimentar quando está viva é ver seu filho partir antes dele. Uma dor excruciante que nunca desaparece completamente e deixa marcas profundas e indeléveis naqueles que criaram, conheceram e amaram um filho que morreu repentinamente.

image: PickPik

Essa dor nunca desaparece completamente; você nunca para de sofrer se perde um filho, mas é um sofrimento com o qual é necessário aprender a conviver. Perder um filho é muito pior do que se perder; com sua ausência, temos a sensação de que uma parte de nós morreu com ele, e não podemos deixar de esperar que um dia possamos abraçar nosso filho no céu, ou em outro mundo mais feliz.

Quando perdemos um filho, nosso coração se parte um pouco de cada vez, todos os dias, abrimos os olhos, olhamos pela janela e vemos o sol nascer novamente; um novo dia sem nosso filho, um dia cuja luz nosso filho nunca verá. Você pode aprender a conviver com essa dor dia após dia, mas não há cura completa.

Uma das consequências dessa perda devastadora é que, nos anos seguintes ao trágico evento, momentos de lazer e felicidade podem ser vividos graças à presença ou ajuda das pessoas mais próximas a nós, esse sentimento de felicidade sempre tenderá a desaparecer muito cedo, porque após a morte de um filho, nada parecerá fazer mais sentido e nada será uma fonte alegria e felicidade para nós. Apesar de tudo isso, no entanto, deve-se entender que é um dever permanecer forte para as pessoas ao nosso redor.

Eles também sentem a mesma dor que sentimos, mas se o sofrimento de ambos os lados se sobressair, não haverá vislumbres de aceitação ou melhoria futura. Apesar de tudo, a vida continua e deve continuar, e nunca deve ir para trás; a lenta abertura para as infinitas possibilidades e surpresas da vida é o que, no final, apesar da dor da ausência de nosso filho, nos mantém vivos e alertas. Não há cura para uma ferida tão aberta, mas a esperança existe. Isso nunca deve morrer.

Advertisement

Deixe um comentário!

Advertisement
Advertisement
x

Por favor, faça o login para carregar o vídeo

Cadastre-se com Facebook com 2 simples cliques!
(Usamos Facebook somente para que o registro seja mais rápido e NÃO iremos postar nada no seu mural)

Acesse com Facebook

Quer mais coisas como essa?

Curta e não perca os melhores da internet!

×

Já sou fã, obrigado