Até os 18 anos não sabia ler nem escrever: pouco depois se torna professor universitário

por Roberta Freitas

02 Março 2023

Até os 18 anos não sabia ler nem escrever: pouco depois se torna professor universitário
Advertisement

Ter um sonho de criança, querer persegui-lo enquanto cresce e torná-lo realidade quando adulto é um aspecto da vida que une muitas pessoas. No entanto, se há muitos que têm um desejo e o concretizam, também há muitos que, por motivos diversos, não o conseguem.

O protagonista da história que queremos contar parecia pertencer ao segundo grupo, mas a vida soube surpreendê-lo, também graças à sua teimosia e força de vontade. Vamos descobrir a história dele.

via People

Advertisement
University of Cambridge

University of Cambridge

Jason Arday é um homem de 37 anos que se tornou muito famoso por sua incrível história. Nascido em Clapham, no sul de Londres, ele mostrou sinais de dificuldade de aprendizagem e transtorno do espectro do autismo desde tenra idade. Essas peculiaridades limitaram muito seu crescimento pessoal, tanto que até os 11 anos não sabia falar e até os 18 nunca havia aprendido a ler e escrever.

Um bloqueio e uma lentidão no aprendizado que pareciam ter marcado negativamente sua vida, mas teimosia e força de vontade em casos como esse são tudo e, de fato, sua história sofreu uma mudança repentina e inesperada.

Advertisement
University of Cambridge

University of Cambridge

Muitos, avaliando sua situação, lhe disseram que não teria sido fácil viver sozinho e que seu destino estava dentro de uma estrutura, na qual ele seria cuidado, mas não foi o caso. Jason, assim que aprendeu a ler e escrever, arregaçou as mangas e começou a estudar o máximo que podia. Aos poucos foi abrindo caminho, se tornou professor de educação física e passou a se dedicar às questões da desigualdade e da integração dos menos favorecidos.

Um caminho e uma determinação que o levaram a se especializar em sociologia educacional e a assumir o cargo de professor titular em uma das mais importantes universidades do mundo: a Universidade de Cambridge, no Reino Unido. As funções anteriores já o haviam tornado o professor universitário mais jovem do país, mas este novo cargo deu a ele o prestígio que merecia e que é fruto de muitos sacrifícios.

"Meu trabalho é focado principalmente em como podemos abrir portas para pessoas de origens desfavorecidas e gostaria de realmente democratizar o ensino superior. Espero que minha presença em um lugar como Cambridge possa me ajudar a desenvolver essas ideias cada vez mais e levá-las para um nível superior".

O seu caminho não foi nada fácil, e sem a ajuda da sua mãe e do seu mentor, talvez não o tivesse conseguido, mas ter as pessoas certas ao seu lado também significa ter sucesso onde parecia impossível. E foi exatamente assim para ele.

Só temos a desejar muitas felicidades para o seu futuro e agradecer por ter nos ensinado que nem sempre o destino está escrito desde o nosso nascimento, às vezes até as coisas mais definitivas podem ser viradas do avesso, basta querer e saber explorar os menores recursos à sua disposição.

Advertisement