A comparação entre os cérebros de duas crianças de 3 anos nos faz entender por que é importante dar amor aos pequenos - OlhaQueVideo.com.br
x
Utilizando este site, você aceita o modo no qual utilizamos os cookies para melhorar a sua experiência. Saiba mais Ok
x
A comparação entre os cérebros de…
Apaixone-se por alguém que consiga tocar a sua alma, antes mesmo de tocar o seu corpo Devemos ter em torno a nós pessoas que nos façam estar bem, ou que ao menos não nos façam mal

A comparação entre os cérebros de duas crianças de 3 anos nos faz entender por que é importante dar amor aos pequenos

7.191
Advertisement

Os primeiros anos da vida de uma criança são fundamentais para seu futuro desenvolvimento físico, mas acima de tudo, mental e cognitivo. O que os pais nunca devem deixar que seus filhos percam nesta fase delicada de sua vida não são apenas os cuidados com o corpo, nem estímulos aos seus interesse, mas sua presença, seu afeto.

Um calor emocional sem o qual o crescimento do cérebro fica comprometido, com efeitos negativos até a idade adulta. Vamos ver em detalhes o que é e como evitá-lo.

A imagem acima mostra o cérebro de duas crianças de 3 anos: a diferença entre elas é devido a um trauma emocional. O cérebro direito - menor e com manchas escuras e embaçadas - pertence a uma criança vítima de negligência.

Muitos estudos mostraram como os bebês negligenciados nos primeiros anos de vida experimentam deficiências nos sistemas de enfrentamento do estresse cerebral, bem como na saúde em geral. Quando não há contato físico e emocional estável por parte dos pais - ou um "provedor de cuidados primários" - bem como interações espontâneas com seus semelhantes, o desenvolvimento do cérebro nas áreas de cuidado, capacidade e função cognitiva ficará comprometido para sempre. O estresse resultante dessa negligência, na verdade, leva ao baixo crescimento cerebral e ao subdesenvolvimento de áreas cerebrais responsáveis ​​pela inteligência: crianças abandonadas terão maior probabilidade de fracassar na escola e no trabalho, assim como desenvolver vícios prejudiciais e comportamento violento. 

Além disso, essa negligência mostra condições particulares e estilos de vida do ambiente de pertencimento da criança: orfanatos, custódias, mas também situações de pobreza econômica e educacional. De fato, outros estudos mostraram que crianças cujas mães têm renda muito baixa, baixa escolaridade, outras filhos e sintomas depressivos, correm maior risco.

image: Unsplash

Nesses casos, a solução inclui uma intervenção de apoio à mãe, voltada para ensiná-las a cuidar do recém-nascido: eles são chamados de "programas de intervenção precoce" e, experimentados nos EUA e no Reino Unido, mostraram algum sucesso - mas também numerosas deficiências.

Além disso, para que uma criança se desenvolva de maneira saudável, deve-se prestar atenção também a outros elementos:

  • não pegue muito peso durante a gravidez: o volume do cérebro de um recém-nascido está ligado ao seu peso ao nascer; portanto, se a mãe pegar o peso certo, o bebê também o fará no útero;
  • um regime nutricional adequado, rico em ferro, magnésio e ácidos graxos, nos primeiros anos de vida da criança é fundamental;
  • brincar livremente reduz o estresse e contribui para o bem-estar cognitivo, social, físico e emocional da criança.

Tendo dito isso, lembre-se, que o amor vem em primeiro lugar: sem ele, tudo está perdido. 

Advertisement

Deixe um comentário!

Advertisement
Advertisement
x

Por favor, faça o login para carregar o vídeo

Cadastre-se com Facebook com 2 simples cliques!
(Usamos Facebook somente para que o registro seja mais rápido e NÃO iremos postar nada no seu mural)

Acesse com Facebook

Quer mais coisas como essa?

Curta e não perca os melhores da internet!

×

Já sou fã, obrigado