Ela sabe que sua filha não sobreviverá, mas leva a gravidez até o fim para salvar outros bebês

por Roberta Freitas

18 Julho 2023

Ela sabe que sua filha não sobreviverá, mas leva a gravidez até o fim para salvar outros bebês
Advertisement

O momento da gravidez é maravilhoso. Os futuros pais se preparam em tudo antes que o recém-chegado venha ao mundo e mal podem esperar para conhecê-lo. As mães então estabelecem imediatamente um vínculo muito forte com seu filho e fazem todo o possível para que ele se sinta bem já nos 9 meses de gravidez.

Sentir isso dentro delas é algo especial e único e elas sempre fantasiam sobre o período que se seguirá. O de crescer, de brincar juntos, de viajar para descobrir o mundo, mas nunca se pensa que isso nunca poderia acontecer. E, em vez disso, é exatamente a situação em que o casal protagonista desta história se encontrava. Dois jovens pais que tiveram que enfrentar um período muito trágico de suas vidas e tomar uma decisão complicada.

via Metro

Advertisement
Krysta Bridwell/Facebook

Krysta Bridwell/Facebook

A história se passou no Tennessee, nos Estados Unidos, onde uma mãe chamada Krysta Davis e seu companheiro Derek Lovett estavam esperando um bebê. Com apenas 23 anos, a mulher ficou encantada com a ideia de dar as boas-vindas ao primeiro filho, mas algo não saiu como ela esperava.

Com apenas 18 semanas de gravidez e durante exames de rotina, os médicos tiveram que dar ao casal uma triste notícia. Sua pequena Rylei Arcadia Diane Lovett não teria chance de vida. Sofrendo de uma condição rara chamada anencefalia, na qual faltam partes do cérebro do bebê, não sobreviveria por muito tempo após o parto. Aqui a alegria dos dois se transformou em profundo desespero.

"Foi terrível - confessou Krysta - Já havíamos enfrentado um aborto espontâneo, e ter que perder nossa filha mais uma vez nos deixou sem palavras".

Advertisement
Krysta Bridwell/Facebook

Krysta Bridwell/Facebook

Situação que se agravou ainda mais quando se deparou com uma escolha junto com seu companheiro. Os médicos disseram que tinham que decidir: interromper a gravidez agora ou continuar para poder doar os órgãos mais tarde. Em meio a mil sofrimentos, os dois escolheram seguir em frente.

"Decidimos ir em frente e dar à luz nossa filhinha - disse a mulher - Não queríamos que nenhuma outra mãe sentisse o que estávamos sentindo. Quando Rylei nasceu, foi incrível e o amor por ela foi imediato, mas sabíamos que não duraria muito".

Krysta Bridwell/Facebook

Krysta Bridwell/Facebook

A doação de órgãos, no entanto, permitiu que outros dois pequenos sobrevivessem e deixassem seus pais felizes. Sem Rylei eles não teriam conseguido: seu sacrifício e o de seus pais não foram em vão.

Sem nem perceber, esta pequena fez um enorme gesto de altruísmo, o único e maior da sua vida por motivos óbvios, mas ainda assim importantes.

Source:

People

Advertisement